A relação entre transparência e inovação

three women and two men near suspension bridge
Photo by rawpixel.com on Pexels.com

Já falamos aqui no blog sobre o poder transformacional da transparência dentro de uma organização. Inclusive no nosso texto sobre transparência, falamos da possível relação dela com o poder de inovação. A ideia hoje é falar um pouco mais sobre como esse pilar de gestão pode colaborar com a chamada cultura de inovação.

O post de hoje tem um conteúdo vem com um pouco mais de opinião do que o de costume aqui no blog. Por mais que deixemos algumas referências, ele representa o nosso olhar sobre a relação entre a fluidez das informações dentro de um ambiente e o potencial criativo que isso pode gerar.

Em busca de uma definição sobre inovação

Em primeiro lugar, parece importante buscarmos uma definição mais formal sobre a palavra inovação.

A ação ou processo de inovar.

“inovações tecnológicas projetadas para economizar energia”

Acima deixamos juntas a definição mais o exemplo de uso.

Uma outra sugestão de uso da palavra inovação, retirada do livro A gestão da inovação, escrito por John Bessant, pesquisador super focado no tema:

A  inovação é movida pela habilidade de estabelecer relações, detectar oportunidades e tirar proveito delas.

Podemos relacionar esse uso com a tentativa de definição formal.

Identificamos uma necessidade da população que é a de continuar usando tudo que precisa, mas querendo pagar cada vez menos. O que podemos fazer para facilitar isso? 

Você tenta identificar uma necessidade e aí trabalha para tentar oferecer algo que possa resolver aquilo. Muitas vezes essa proposta de solução é justamente o que consideramos inovação.

Alguns passos que precisamos para tentar inovar

Existe uma outra frase que eu considero uma tentativa de definição interessante para inovação:

Inovação é a criatividade que emite nota fiscal

Por mais que nem sempre você queira inovar para faturar dinheiro em cima, ela traz um link que considero essencial para inovar, a criatividade.

Considero que antes de inovar, primeiro precisamos tentar ser criativos. E criatividade é justamente a nossa capacidade de combinar informações de maneira diferente. Nem sempre combinamos de maneira interessante, mas toda combinação pode ser considerada criativa. Uma tentativa formal de definição sugerida pela busca específica no google:

O uso da imaginação ou idéias originais, especialmente na produção de um trabalho artístico.

E aqui vem outra dica importante: para combinarmos as coisas de maneira diferente (criatividade), primeiramente, precisamos imaginar.

Se você não é imaginativo, não tem como ser criativo. E se você não é criativo, não tem a mínima chance de ser inovador. 

E como podemos ser mais imaginativos?

A sua possibilidade de imaginar é diretamente proporcional a quantidade de informações que você tem acesso.

Vamos tentar fazer um exercício.

  1. Faça uma retrospectiva sobre os momentos que você considerou que teve uma ideia super legal.
  2. Essa ideia era sobre algo que você de alguma forma conhecia ou foi sobre algo que você nunca viu nem ouviu falar?

Meu chute é que você vai se identificar com a opção de ter gerado uma ideia a partir de informações que você já tinha acesso.

Pegue também como exemplos as crianças super novinhas, até uns 3 anos é melhor. A imaginação delas vai expandindo na medida que elas têm acesso a cada vez mais informações. Até achar uma panela, apenas a cômoda de madeira servia como bateria. A diferença para um adulto é apenas que a criança não tem medo de ser julgado pelas suas imaginações, então elas tentam de tudo :).

Como podemos ter acesso a mais informações?

Pensando no mundo das empresas, aqui, para mim, é justamente onde a transparência exerce um papel importante. Em muitas das empresas, as ideias mais legais, vem apenas da diretoria. Por que será?

Na minha opinião não é porque a diretoria tem pessoas mais brilhantes nem nada. O motivo principal é que lá eles(as) tem acesso a todo tipo de informação relacionada a empresa. Alguns exemplos:

  • Objetivos de longo prazo
  • Objetivos de médio prazo
  • Objetivos de curto prazo
  • Pesquisas sobre necessidades dos clientes
  • Problemas relatados pelos clientes
  • Dificuldades financeiras

É exigir demais que algum funcionário, como menos acesso à informação, tenha sugestões com o mesmo nível de qualidade de que alguém com acesso completo a mais informações.  Alterando um pouco o que eu disse anteriormente:

A sua possibilidade de inovar é diretamente proporcional a quantidade de informações que você tem acesso.

Conclusão

Eu diria que antes de apostar numa cultura de inovação, uma empresa deveria apostar numa cultura de transparência. Invista em controlar menos a narrativa e acredite que todos devem ser capazes de lidar com as informações pertinentes ao seu local de trabalho.

Durante o processo talvez você até perca pessoas, mas se foi a decisão que a pessoa tomou em frente as informações que ela teve acesso, tudo bem. Quem ficar, vai saber exatamente o jogo que está sendo praticado e tem muito mais chance de colaborar de forma eficiente.

Algumas referências

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: