O que acontece se eu mostrar minhas fraquezas?

baby child close up crying
Photo by Pixabay on Pexels.com

Por que você deve parar e ler esse post?

Porque o objetivo desse texto é falar que não devemos ter medo de mostrar nossas vulnerabilidades. Ser vulnerável faz parte do ser humano e, por mais que algumas vezes sejamos julgados por isso, trabalhar em algum lugar que abrace esse comportamento e que esteja aberto a encará-lo como positivo, pode realmente ser um fato de geração de confiança na pessoa.

De onde vem essa ideia de mostrar a minha vulnerabilidade?

Em seus estudos sobre a ciência por trás da confiança,  Paul J Jak descobriu que a honestidade e a vulnerabilidade são fatores importantes para que alguém se torne confiável. Inclusive, este conjunto de características é um dos pilares da gestão baseada na confiança. No paper, ele é descrito como Natural. Talvez uma dúvida que fique em nossas cabeças é: ser honesto(a) faz todo sentido no processo de geração de confiança, afinal de contas, como você vai querer se doar e fazer mais por alguém que demonstra sinais de desonestidade? Agora, será que você vai confiar em alguém que demonstra sinais de vulnerabilidade?

Vulnerabilidade, frequentemente, é confundida com fraqueza. Então a pergunta que fica, ainda mais profunda, é: Será que devemos mostrar nossas fraquezas, admitir publicamente nossos erros? Por mais que o primeiro pensamento seja que isso pode jogar contra você, a ciência mostra que, dependendo do contexto, a vulnerabilidade pode gerar empatia no(a) observador(a) e, empatia, é uma forte estimuladora da produção de Ocitocina, que é o hormônio que ajuda na criação da relação de confiança

Aquela perfeição exagerada?

Faça uma rápida busca pelas suas memórias, você já olhou para alguém e teve a sensação que a pessoa era meia perfeita demais? Dando exemplos mais práticos:

  1. Você já chamou ou foi chamada(o) de CDF na escola?
  2. Já olhou para aquela pessoa bem sucedida e que você admira e pensou: caramba, será que ela nunca cometeu um erro na vida?

Esse tipo de sentimento não é anormal. Algumas pessoas passam a sensação de serem perfeitas, elas nunca demonstram nenhuma fraqueza, não admitem nenhum erro e, por alguma construção de ideia interna, acha que esse é o caminho para que os(as) outros(as) admirem e confiem cada vez mais nela. Talvez você já tenha escutado uma frase parecida com essa: Se você demonstrar uma fraqueza, ele(a) vai deitar em cima de você. Em geral, quanto mais alto se sobe na hierarquia de uma organização, mais o indivíduo tende a criar uma camada protetora, tentando parecer um super herói para os observadores.

Vamos então mostrar nossas imperfeições

Então parece que não seria uma má ideia começar a mostrar nossos erros, fraquezas etc. Aqui temos uma possível resposta interessante: Depende. Existem estudos que indicam que a percepção de vulnerabilidade pode realmente gerar mais empatia no outro. Um que é bem rápido de ler, é o The effect of a pratfall on increasing interpersonal attractiveness.

No estudo acima, foi feito um experimento onde um determinado grupo de pessoas foi exposto a quatro versões de uma história.

  1. Alguém que foi considerado(a) um(a) ótimo(a) aluno(a) responde a um quiz de 50 perguntas e acerta em torno de 90% das respostas.
  2. Alguém que foi considerado(a) um(a) aluno(a) mediano(a) responde a um quiz de 50 perguntas e acerta em torno de 30% das respostas
  3. Alguém que foi considerado(a) um(a) ótimo(a) aluno(a) responde a um quiz de 50 perguntas, acerta em torno de 90% das respostas e no final derruba uma xícara de café sobre sua própria roupa.
  4. Alguém que foi considerado(a) um(a) aluno(a) mediano(a) responde a um quiz de 50 perguntas, acerta em torno de 30% das respostas e no final derruba uma xícara de café sobre sua própria roupa.

O objetivo do experimento era medir o nível de “atratividade” da pessoa que estava respondendo o quiz.  A pessoa que foi julgada mais atrativa foi justamente a que era considerada uma ótima aluna e que derrubou o café. Por outro lado, a pessoa considerada menos atrativa foi justamente a que era mediana e que derrubou café!

A conclusão do estudo é que a falha tem um efeito positivo quando consideramos que a pessoa é boa no que faz. Neste tipo de cenário, o erro humaniza e faz com que o outro seja mais empático com você. É um comportamento muito observado no esporte. Atletas que são considerados(as) estrelas recebem um carinho extra quando dão sinais de vulnerabilidade. Choram em entrevistas, cometem erros em público, etc.

Também é um comportamento observado em sala de aula, pelo menos na Caelum. Não temos registro de um comentário escrito onde algum aluno(a) achou a aula ou o(a) instrutor(a) ruim porque o(a) professor(a) não soube responder a uma ou duas perguntas. O professor(a) é alguém que, naquele momento, talvez saiba um pouco mais sobre determinado assunto, mas ele(a) não é um deus(a) que tem todas as respostas.

Agora, o outro lado da moeda. Caso você seja julgado como uma pessoa que não é muito boa no que faz, a falha tem um efeito bem negativo. Ela entra como um fator de confirmação do que a pessoa já estava enxergando. Voltando para o exemplo da sala de aula. Uma coisa é o(a) aluno(a) ser receptivo quando a pessoa dando aula não sabe responder uma pergunta. Outra coisa bem diferente é quando várias perguntas começam a ficar no ar. A sensação é: Se é para não ter nenhuma pergunta respondida, eu podia ter lido os materiais em casa.

Não vai fingir vulnerabilidade, hein!

Um efeito negativo da sabedoria é quando a mesma é usada para o mal. Então, eu gostaria de reforçar que não é para ninguém usar a vulnerabilidade de maneira calculada e desonesta! A ideia aqui é que você e a sua organização falem para as pessoas que está tudo bem cometer erros. Claro que devemos aprender com eles, mas não é necessário fingir que nada aconteceu, você não vai ser punida(a) nem nada por conta disso.

Chegou até aqui?

Espero que o texto tenha servido para mostrar que a vulnerabilidade é uma característica que pode ser tratada de forma positiva. Cada um de nós somos diferentes e imperfeitos por natureza e realmente, considerando um ambiente normal, não parece existir muitos motivos para você omitir seus erros.

Momento propaganda

Este é um dos tópicos que são tratados no nosso curso sobre gestão na Caelum. Estamos preparando várias dinâmicas sobre os mais variados tópicos e acreditamos que este pilar vai gerar um dos momentos mais intensos :).

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: