A confiança como diferencial estratégico

achievement confident free freedom
Photo by Snapwire on Pexels.com

Esse é o primeiro post do nosso blog!  Vamos mostrar como o tema confiança deveria ser tratado de forma estratégica na sua gestão. Não é prudente esperar que a pessoa tenha x anos de empresa para que ela desenvolva o senso de confiança naquela organização. A própria empresa precisa ser proativa nesse sentido e promover uma gestão que facilite a criação desse vínculo tão importante para o bem estar e a performance de todos.

Essa parte de performance sempre é discutível. Quando falamos de performance no trabalho, é importante deixar claro, sempre, que isso não é uma equação simples. O importante é maximizar as chances das pessoas poderem realizar o trabalho com excelência.

Agora como a confiança pode exercer um papel importante nisso? Vamos ver algumas informações trazidas pela Edelman, empresa super reconhecida por suas análises sobre o cenário de confiança no mundo. Ela  já publicou o seu relatório anual sobre o impacto da confiança no mundo em 2019. Ele pode ser encontrado aqui e é incrivelmente rico e cheio de insights para você e sua empresa!

Inclusive Richard Edelman, CEO, fez uma apresentação no Fórum Mundial de Economia falando justamente sobre os números encontrados nos relatórios e mostrando um pouco do ponto de vista dele. O vídeo da apresentação é muito interessante e cumpre um bom papel resumindo as análises encontradas no relatório. Para facilitar ainda mais, deixo aqui alguns dos insights que considero bem relevantes.

O foco da confiança mudou

O foco da confiança mudou em relação a quem é o responsável por ser um agente de transformação na sociedade. Já foi o governo, ONGs, mídia. O resumo, de acordo com a Edelman é: My employer” is the most trusted institution. O que essa frase quer dizer é que as pessoas estão depositando sua confiança tanto nas empresas quanto nos(as) CEOs.

O sistema deveria trabalhar a favor das pessoas

No relatório existe uma diferença entre o que ele chama de informed public e mass population, que tem a ver com faixa etária, engajamento com notícias, nível de educação etc. Pegando aqui os números em relação a crença que o sistema deveria trabalhar em favor das pessoas. Considerando a “mass population”, que compõe a maior parte do entrevistados:

  1.  72% se sente injustiçada
  2.  70% tem desejo de mudança
  3.  68% indica uma falta de confiança
  4.  17% se diz sem esperança. SEM ESPERANÇA

Posicionamento claro

76% do público total acredita que as pessoas em cargos de CEOs devem tomar a frente e se posicionar sobre questões de interesse mundial como: igualdade no pagamento entre homens e mulheres, racismo e preconceito, capacitação para os trabalhos do futuro entre outras questões.

Caminhos para aumentar os índices de confiança

Foi listado as top 5 ações que podem aumentar os índices de confiança no empregador(a).

  1. Impacto social. Como a empresa colabora para a mudança da sociedade?
  2. Os valores difundidos dentro da empresa
  3. A visão sobre o futuro
  4. O propósito e a missão
  5. Ações da empresa que impactem diretamente no trabalho do dia a dia.

Expectativas das pessoas em relação ao trabalho em si

  1. 25% informou que nunca trabalharia para uma empresa que não tivesse uma visão que fosse além dos lucros. 42% disse que até trabalharia, mas teria que receber mais.
  2. 31% informou que nunca trabalharia em uma empresa onde falta transparência e que as pessoas não tivessem voz ativa nas tomadas de decisão. 43% teria que ganhar mais para aceitar.
  3. 38% informou que nunca trabalharia numa empresa onde não enxergasse oportunidades de crescimento nem de significado no trabalho. 42% teria que ganhar mais para trabalhar.

Além disso temos os relatórios da Deloitte, PWC e o último do Linkedin. Cada um traz um ponto de vista que merece ser analisado, mas criação da confiança é um tema que cruza todos eles. Por sinal, cada um desses relatórios merece um post!

A intenção com todas essas informações é mostrar que realmente a confiança pode e deve ser trabalhada dentro de cada empresa. Não estamos falando de alguma coisa longe da realidade, um feeling, nem nada disso. Estamos tratando de algo que pode ser medido e que se mostra como fator relevante sobre o trabalho exercido por cada pessoa dentro da empresa.

Agora, por mais que os relatórios informem a importância da confiança, uma pergunta que sempre fica é: quais ações realmente práticas poderiam ser promovidas para que esse sentimento fosse criado? O relatório da Edelman traz boas pistas, mas tudo ainda parece meio genérico demais e pouco acionável. Deixamos uma pista no Sobre aqui do nosso blog sobre como pretendemos facilitar o seu caminho. Além das informações de lá, temos um post bem mais específico falando sobre o estudo científico que é a base do modelo de gestão adotada atualmente na Caelum, e como ela pode realmente facilitar a busca pela confiança e excelência dentro do ambiente do trabalho.

Espero que você tenha gostado da nossa proposta de conteúdo :). Estamos super abertos a debater o tema. Tem alguma dúvida? Deixe o comentário e vamos ficar mais do que felizes em debater!

 

One thought on “A confiança como diferencial estratégico

Add yours

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: